0 Compartilhamentos 14 Views

Shadow Brokers agora quer “Netflix” de vulnerabilidades

O cenário mundial da segurança eletrônica está prestes a se tornar ainda mais surreal: o coletivo hacker Shadow Brokers propôs criar um serviço de assinatura mensal para vulnerabilidades.

A exemplo do Netflix, o serviço pago forneceria conteúdo exclusivo para os clientes que pagassem, com lotes de ferramentas e dados confidenciais furtados da NSA liberados uma vez por mês.

De acordo com o Shadow Brokers, o uso positivo ou malicioso dessas informações ficaria a critério de quem pagasse pela assinatura. Embora o grupo ainda não identificado não tenha falado sobre os valores da tal mensalidade, a ideia é colocar o sistema para funcionar ainda em Junho. Eles garantem que ainda possuem uma farta quantidade de material de segurança extraviado do arsenal do Equation Group, a divisão de elite hacker da Agência de Segurança Nacional (NSA) do governo dos Estados Unidos.

Essa não é a primeira tentativa do Shadow Brokers de tentar capitalizar em cima do furto realizado no ano passado. Na época, o coletivo hacker liberou uma pequena amostra das vulnerabilidades e ferramentas que pertenceriam à NSA e anunciou um leilão, no valor de cerca de US$12 milhões pelo lote completo. Sem encontrar um comprador, o grupo mergulhou em silêncio por alguns meses antes de começar a soltar as informações que possuía em vazamentos na web, sem cobrar nada.

Em um desses vazamentos, foi divulgada a ferramenta Eternal Blue, que explorava uma vulnerabilidade presente em várias versões do Windows e que deu origem à epidemia do ransomware WannaCrypt. Com a repercussão do caso, o Shadow Brokers parece ter voltado a se interessar em buscar uma forma de lucrar com as informações que ainda guarda.

Além de exploits em navegadores, sistemas operacionais, roteadores e dispositivos eletrônicos e táticas utilizadas pela NSA em suas operações de espionagem, o coletivo hacker garante possuir também uma grande quantidade de dados obtidos pela agência norte-americana nessas operações. Entre as informações que supostamente também estão em poder do grupo, encontram-se dados de grandes organizações bancárias e dos programas nucleares e de mísseis da Coreia do Norte, Irã, Rússia e China.

Você pode se interessar

DICA EXTRA: Prepare seu Currículo de Programador // Vlog #53.1
Vídeos
19 visualizações
Vídeos
19 visualizações

DICA EXTRA: Prepare seu Currículo de Programador // Vlog #53.1

Gabriel Fróes - 9 de outubro de 2017

No último vídeo do canal demos algumas dicas sobre como preparar seu currículo para uma vaga de programador mas esquecemos de uma dica super importante que falaremos nesse vídeo.

Confira os principais trailers da New York Comic Con 2017
Notícias
27 visualizações
Notícias
27 visualizações

Confira os principais trailers da New York Comic Con 2017

Carlos L. A. da Silva - 9 de outubro de 2017

Festa dos quadrinhos foi palco de trailers de mega-produções do cinema e séries de TV: Liga da Justiça, The Walking Dead e novo Círculo de Fogo. Confira!

Google teria encontrado indícios de anúncios patrocinados pelo governo russo em sua plataforma
Notícias
9 visualizações
Notícias
9 visualizações

Google teria encontrado indícios de anúncios patrocinados pelo governo russo em sua plataforma

Carlos L. A. da Silva - 9 de outubro de 2017

Segundo o jornal The Washington Post, empresa teria começado sua investigação depois de casos similares no Twitter e no Facebook.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.

Mais publicações

Executivo da Microsoft confirma desinteresse no Windows Phone
Notícias
28 visualizações
28 visualizações

Executivo da Microsoft confirma desinteresse no Windows Phone

Carlos L. A. da Silva - 9 de outubro de 2017
Elon Musk critica Google Clips
Notícias
40 visualizações
40 visualizações

Elon Musk critica Google Clips

Carlos L. A. da Silva - 9 de outubro de 2017
Michel Temer vetou emenda que poderia censurar a internet
Notícias
26 visualizações
26 visualizações

Michel Temer vetou emenda que poderia censurar a internet

Carlos L. A. da Silva - 9 de outubro de 2017