Vice-Presidente da Samsung pode ser preso a qualquer momento

Autoridades da Justiça da Coreia do Sul estão tentando obter um mandado de prisão para o Vice-Presidente da Samsung, Lee Jae-yong.

O executivo é alvo de uma investigação onde é acusado de envolvimento em um esquema de corrupção com a presidente afastada do país.

Lee foi interrogado por 22 horas na última sexta-feira sobre o pagamento de subornos feitos pela Samsung a Choi Soon-shil, um assessor e amigo da Presidente Park Geun-hye, para se obter vantagens na liberação de uma fusão no país. As autoridades acreditam que foram pagos o equivalente a mais de US$40 milhões de um caixa dois da Samsung. Além disso, o Vice-Presidente da empresa é acusado de falso testemunho, por ter negado conhecer Choi na ocasião do suposto suborno, o que foi desmentido posteriormente pelas investigações.

Lee Jae-yong está no comando efetivo da gigante sul-coreana desde 2014, quando um ataque cardíaco provocou o afastamento por motivos de saúde de seu pai, Lee Kun-hee, do cargo de presidente da empresa. Representantes da Samsung solicitaram que a investigação continue, mas sem a prisão de Lee Jae-yong, único filho do presidente e principal herdeiro. Eles temem que sua prisão possa impactar a imagem da empresa e até a economia do país.

Entretanto, Lee Kyu-chul, porta-voz da investigação conduzida pelas autoridades sul-coreanas, declarou que embora a economia nacional seja importante, a justiça é mais importante ainda. O mesmo escândalo de corrupção e tráfico de influências provocou o impeachment da presidente Park Geun-hye no início de Dezembro do ano passado e os investigadores avisam que outras empresas estão na alça de mira, também acusadas de suborno.

Queremos saber sua opinião