Universidade brasileira vai à leilão para pagar multa de pirataria

A Universidade Cândido Mendes, no Rio de Janeiro, está leiloando sua sede em virtude de um processo de pirataria de programas da Microsoft que se arrasta na Justiça desde o ano 2000.

A instituição foi flagrada na época utilizando uma grande quantidade de programas que não eram originais em suas instalações e já foi considerada culpada das acusações.

A multa determinada pela Justiça atingiu o valor de R$42 milhões que deveriam ser pagos à Microsoft. Embora a Cândido Mendes tenha quitado o valor da multa, ficaram pendentes os custos advocatícios, que deveriam ser pagos pela parte perdedora, no valor de R$ 4,3 milhões. Diante da inadimplência dessa dívida, a 17ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro aceitou um recurso solicitado pela Microsoft para a realização do leilão da sede da Universidade, que havia sido oferecida como garantia de pagamento.

O prédio, localizado em Ipanema, Zona Sul do Rio de Janeiro, área nobre e valorizada da cidade, ficou avaliado em R$128 milhões. Contando com 36 salas de aula, um cinema com 64 lugares e um teatro com 103 lugares em suas instalações, além de uma galeria de arte no salão principal, essa é a segunda vez que a sede da Cândido Mendes vai a leilão nesse processo. Em Novembro do ano passado houve uma tentativa de leiloar o complexo, que não foi adiante por falta de interessados em pagar o valor avaliado. O novo leilão ainda não tem data marcada.

A Universidade Cândido Mendes é a mais antiga instituição particular de ensino superior do país e conta atualmente com 16 unidades, que oferecem 21 cursos diferentes de graduação, reunindo mais de 20 mil estudantes e 1000 professores e pesquisadores. Até o momento, a direção da universidade não se manifestou oficialmente sobre o processo, cujos detalhes correm em segredo de Justiça.

 

Queremos saber sua opinião