Uber está sob investigação criminal do Departamento de Justiça dos EUA

O Uber volta às manchetes com mais uma notícia negativa: se tornou alvo de uma investigação criminal conduzida pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

A empresa é acusada de ter implementado um programa especial capaz de identificar autoridades e escapar da fiscalização em áreas onde ainda não tinha autorização para funcionar.

Batizado de “Greyball”, o sistema foi denunciado pela primeira vez em Março em uma reportagem do jornal The New York Times. Cruzando dados e utilizando algoritmos, o Uber seria capaz de reconhecer chamadas falsificadas criadas por autoridades e fiscais interessados em apreender veículos em regiões onde o transporte por aplicativo não é legalizado ainda. Uma vez que a conta fosse marcada como pertencente a um possível agente disfarçado, o aplicativo do Uber passaria a fornecer informações falsas sobre o posicionamento dos motoristas e negar atendimento.

O Uber se defende alegando que burlar a lei nunca foi o propósito do “Greyball”, que teria sido utilizado no passado e continuaria sendo no presente para salvaguardar motoristas de ameaças a sua segurança por parte de usuários que violam os termos de uso do serviço. Na lista de contas que seriam marcadas pelo sistema estariam na verdade, “pessoas que visam ferir fisicamente os motoristas”, como integrantes de algumas associações de taxistas e “competidores buscando sabotar nossas operações”, como o Uber já foi acusado de fazer com seus rivais.

Entretanto, o Uber também admitiu que a plataforma também poderia ter sido empregada para evitar “oponentes que conspiram com oficiais em emboscadas secretas feitas como armadilhas de motoristas”. Cartas da empresa para as autoridades municipais de Portland, nos Estados Unidos, comprovam o uso do “Greyball” com esse propósito, ainda que de forma esparsa, no período que antecedeu a legalização do uso do Uber na cidade.

Desde a publicação da reportagem do The New York Times, o Uber se comprometeu a não utilizar mais o “Greyball” para burlar a fiscalização, mas tão somente para evitar fraudes e riscos à segurança de seus motoristas. Apesar disso, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos solicitou documentação relacionada à questão, para dar procedimento a uma investigação que pode conduzir ou não a um processo criminal contra a empresa.

Queremos saber sua opinião