Trégua na guerra dos navegadores

Fim da briga? Ou só uma trégua provisória?
Depois de anos de lutas intensas, parece que a guerra entre os navegadores pelo topo do mercado atingiu seu ponto mais estável. Nos últimos quatro meses, o Chrome diminuiu a taxa de crescimento, o Internet Explorer parou de perder público e o Firefox continuou no mesmo patamar.

Se analisarmos o gráfico abaixo, com as estatísticas de uso dos principais navegadores desde novembro de 2011, veremos que as linhas estão muito próximas de uma linha reta:

Os dados foram extraído do serviço de análise NetMarketShare e indicam uma estagnação na disputa pelo coração dos usuários. O Internet Explorer da Microsoft continua no topo com pouco mais de 50% do mercado, enquanto o Firefox mantem-se à frente do Google Chrome por uma margem muito pequena.

Ainda que uma outra pesquisa indique uma mudança de padrões de uso durante os finais de semana, não se espera nenhuma alteração drástica nas estatísticas pelos próximos meses. Se por um lado a Microsoft investe em publicidade para melhorar a imagem de seu navegador, tanto o Chrome quanto o Firefox fidelizam sua base de usuários através de plugins e serviços agregados que desestimulam a troca de programa.

Enquanto os atuais concorrentes não investirem em mudanças revolucionárias ou não aparecer uma nova opção atraente, o quadro deve permanecer estável. Pelo menos até o lançamento do Internet Explorer 10.

.