Prefeito de São Paulo fecha acordo com Uber e 99 para transportar funcionários públicos no dia da greve geral

O Prefeito de São Paulo, João Dória, anunciou uma parceria inédita com o Uber e o 99 para transportar funcionários públicos sem custo algum no dia da greve geral, nessa sexta-feira (28).

Uma vez que trens, ônibus e metrôs anunciaram adesão ao movimento de protesto contra as reformas implementadas pelo Governo Federal, as empresas de transporte por aplicativo se tornaram a principal alternativa de locomoção.

De acordo com Dória, a administração pública não precisará pagar nada pelo uso do Uber e do 99 no dia da greve geral: as corridas serão custeadas pelas próprias empresas para todos os servidores que desejarem romper com a greve. Os motoristas serão pagos normalmente mas nem a Prefeitura e nem os passageiros serão cobrados pelo serviço. Com 135 mil funcionários na administração direta da cidade de São Paulo, os aplicativos terão que dar conta da demanda.

Para João Dória, “sexta-feira, dia 28, é dia de trabalho. Só quem não quer trabalhar é que vai fazer greve”. Os funcionários que não comparecerem a seus locais de trabalho no dia da greve geral poderão ter seu ponto cortado. Em mais um de seus sistemas disponíveis em sua conta no Facebook, o Prefeito explica seu posicionamento sobre a questão e a disponibilidade dos serviços por aplicativo:

Segundo o jornal Folha de São Paulo, assessores próximos ao Prefeito não acreditam que a oferta de serviços de aplicativos de transporte possa funcionar como uma garantia de funcionamento da máquina pública nessa sexta-feira e é esperada uma queda no volume e na qualidade do atendimento prestado pelo funcionalismo público. Entretanto, eles argumentam que a iniciativa costurada por Dória oferece uma alternativa viável para aqueles que estiverem dispostos a comparecer aos seus postos de trabalho.

Queremos saber sua opinião