Pesquisador de segurança pode ter desmascarado responsável pelos maiores ataques DDoS da História

Desde o ano passado, a identidade do criador da ferramenta de botnet Mirai permanecia um mistério, mas um pesquisador de segurança pode ter desvendado esse segredo.

Segundo Brian Krebs, um dos primeiros a denunciar a existência da Mirai e dos gigantescos ataques DDoS possibilitados por ela, seu criador seria um especialista de segurança que comercializa soluções de proteção contra DDoS.

Até então conhecido apenas pela alcunha de “Anna-senpai”, o hacker responsável por alguns dos maiores ataques DDoS já realizados é, na verdade, Paras Jha, fundador da empresa ProfTraf, conhecida no cenário de segurança. Jha teria adotado estratégias de blackhat para conseguir a hegemonia de sua empresa no competitivo mercado de segurança para servidores de Minecraft, sabotando a concorrência e chegando ao desenvolvimento de Mirai.

paraslinkedin

De acordo com a extensa investigação conduzida por Krebs, Jha coordenava diversas alcunhas e diversos funcionários da ProfTraf para ameaçar competidores e oferecer serviços de ataque DDoS baseados na botnet Mirai. Semelhanças de código, informações que só poderiam ser conhecidas por esse ou aquele indivíduo levaram o pesquisador a ligar os pontos e concluir que Jha teria utilizado sua ampla experiência em lidar com esse tipo de ameaça e estaria por trás de todo o esquema.

Desde Setembro, o código-fonte de Mirai foi vazado por “Anna-senpai”, o que ajudou a propagar esse tipo de ataque e culminou na derrubada dos servidores de DNS da Dyn, em Outubro passado, causando um “apagão” em diversos sites e serviços na internet.

Paras Jha negou ser o criador de Mirai e rebateu as acusações: “eu não acredito que haja fatos suficientes para apontar definitivamente o dedo para mim. Fora esse artigo, eu sou basicamente um zé ninguém. Nenhum histórico de fazer esse tipo de coisa, nada que aponte para qualquer tipo de comportamento sociopata. O que é o que o autor é, um sociopata”.

Queremos saber sua opinião