Perfis de Facebook foram analisados para barrar entrada de imigrantes nos EUA

Segundo representantes da American Immigration Lawyers Association (Alia), autoridades nos aeroportos estavam checando os perfis de Facebook de quem tentava entrar no país nesse final de semana.

A Alia, que representa os imigrantes que desejam entrar legalmente nos EUA, alertou que a prática é antiga e questionável e foi novamente utilizada após a ordem executiva de Donald Trump de sexta-feira.

Os agentes fronteiriços estariam analisando o perfil político de imigrantes, inclusive aqueles com green card e permissão prévia para adentrar no país, interrogando e checando o perfil de rede social antes de conceder a entrada no território norte-americano. A advogada Mana Yegani, de Houston, membro da Alia, testemunhou os abusos: “essas são pessoas que estão vindo legalmente. Elas tem empregos aqui e elas tem veículos aqui”, protestou.

Segundo a Electronic Frontier Foundation, ONG que atua há décadas na defesa da privacidade e dos direitos civis no espaço virtual, há um entendimento jurídico que a polícia da fronteira pode vistoriar dispositivos eletrônicos e conferir listas de contados ou perfis sociais mesmo sem a suspeita de atividade ilegal. Áreas como aeroportos internacionais são considerados territórios de fronteira para esse fim, apesar da controvérsia.

Queremos saber sua opinião