Novo sistema de reconhecimento facial do FBI está pronto

O novo sistema de reconhecimento facial do FBI está pronto, após mais de 3 anos de desenvolvimento. O NGI (Next Generation Identification) conta com um recurso chamado Interstate Photo System (IPS), o qual é capaz de buscar por fotografias que estejam associadas a criminosos.

O sistema pode realizar varreduras utilizando fotos obtidas através de outros sistemas e bancos de dados, tentando encontrar correlações que possam levar à identificação de criminosos. Rostos de pessoas que não estão (pelo menos a princípio) ligadas a atividades criminosas farão parte do banco de imagens, e isto, claro, faz com que a preocupação com a privacidade aumente bastante.

FBI

Estas fotografias podem ser obtidas, por exemplo, através de “registros de emprego e bancos de dados de verificação de antecedentes“. Espera-se que o IPS chegue a coletar 52 milhões de rostos, mas por outro lado, o sistema parece não ser lá muito preciso.

Ele retorna uma listagem de 50 candidatos para cada rosto fornecido, e as chances de que o suspeito esteja em tal lista são de 85%. O NGI foi criado para melhorar a capacidade de identificação do FBI. A  polícia federal norte americana também pretende chegar ao ponto de, com a ajuda do novo sistema, substituir seu sistema de identificação por impressões digitais, o IAFIS (Integrated Automated Fingerprint Identification System).

A primeira fase do novo sistema de reconhecimento facial, o NGI, foi iniciada em Fevereiro de 2011, e de lá para cá o FBI diz ter melhorado os recursos de identificação para mais de 18 mil agências policiais. De qualquer forma, apesar das preocupações, também temos exemplos que devem ser comemorados, claro.

Sobre Marcos A.T. Silva

Marcos A.T. Silva é empresário na área de TI. É apaixonado por games desde que ganhou seu primeiro Atari 2600. Outras de suas paixões são a leitura e a música. Toca piano desde cedo e também gosta do bom e velho rock ‘n roll. Pode ser encontrado também no XboxPlus.

Queremos saber sua opinião