Microsoft alerta contra o uso do Windows 7: ultrapassado e inseguro

Não dá mais para esconder: oito anos depois do seu lançamento, a própria Microsoft alerta que o Windows 7 é ultrapassado e inseguro.

Embora o suporte estendido ao sistema operacional esteja ativo até 2020, a empresa avisa que, mesmo atualizado, é impossível garantir o mesmo nível de segurança oferecido pelo Windows 10.

Markus Nitschke, diretor da divisão alemã da Microsoft, declarou textualmente que o Windows 7 “não atende aos requisitos da tecnologia moderna, nem os requisitos de segurança dos departamentos de TI”. Para o executivo, é fundamental que as empresas que ainda dependem do sistema operacional de 2009 iniciem agora um processo de migração para o Windows 10 para evitar custos operacionais relacionados a ameaças eletrônicas.

Mecanismos de proteção nativos do Windows 10 conseguiram bloquear recentemente duas vulnerabilidades classificadas como zero-day, ou seja, exploradas em ataques antes mesmo do fabricante produzir uma atualização. De acordo com Nitschke, o Windows 7 não conta com esses recursos em sua arquitetura e depende tanto da velocidade da Microsoft para lançar uma correção quanto do usuário para instalá-la.

Além disso, destaca o executivo, fabricantes de periféricos estão se afastando da plataforma e não estão mais oferecendo drivers para o Windows 7 em seus novos componentes ou dispositivos. Nitschke também aponta para um crescimento na quantidade de chamados de suporte relacionados ao sistema operacional e tudo isso leva a um aumento de custos que as empresas deveriam levar em consideração bem antes da data final definitiva do Windows 7, em 2020.

Após essa data, a Microsoft ainda seguirá oferecendo um suporte corporativo para o sistema operacional, a exemplo do que faz com o Windows XP até hoje, mas os custos ficarão ainda mais elevados para esse tipo de atendimento exclusivo.

Queremos saber sua opinião