Inventor de hoverboard que voa é banido da França

Franky Zapata inventou um hoverboard que voa de verdade, mas não está encontrando o apoio que esperava por parte das autoridades franceses.

O fundador da Zapata Racing afirma que existe uma “forte possibilidade que o Flyboard Air nunca mais voe novamente na França”, após ser ameaçado de ser indiciado criminalmente por violar a legislação aérea.

Zapata acusa o país de não incentivar a inovação tecnológica e afirmou que pode até mesmo sair da França para continuar o seu projeto. “É assim que os inovadores são tratados nesse país”, reclamou em uma postagem em seu perfil no Facebook. “Eu deixo vocês imaginando o meu desgosto depois de ter produzido mais de 10.000 unidades do Flyboard ‘made in France'”, completou o executivo.

zapata-flyboard

As autoridades que regulam o uso do espaço aéreo na França apontam que Zapata e a empresa que guarda seu nome falharam em “se adequar às regras mínimas para sobrevoo e operação de aeronave sem as qualificações necessárias”. Afeito a grandes jogadas de marketing, Franky Zapata é conhecido por testar pessoalmente seus aparelhos, mas garante que toma todas as medidas de segurança em seus voos.

O audacioso executivo foi advertido sobre suas práticas e ameaçado de multa e até mesmo prisão se insistir em realizar os testes na França sem se submeter aos regulamentos. Segundo o vice-procurador Emmanuel Merlin, “as pessoas estão preocupadas com voos sobre pontes ou próximos de áreas habitadas”, mas há espaço para diálogo com a Zapata Racing e as autoridades estão trabalhando em uma forma de aprovar o trabalho de pesquisa.

Em seu desabafo, Zapata manifesta a vontade de continuar no país, mas afirma estar disposto a ir onde for para tornar o Flyboard uma realidade: “eu amo meu país, eu sou francês em meu coração, em minha cultura e em minha alma. Mas minha paixão e minha necessidade de liberdade falam mais alto”.

Queremos saber sua opinião