IDC aponta que “febre dos tablets” entrou em declínio no Brasil

De acordo com números divulgados pela empresa de análise de dados IDC, as vendas de tablets no Brasil pararam de crescer, após um período de euforia. Culpa pode estar em produtos de má qualidade no mercado.

Segundo o analista Pedro Hagge, do IDC Brasil, “nós tivemos um momento com muitos tablets lançando com opções de baixa qualidade, o que levou os consumidores a se desapontarem e não considerarem uma segunda compra”.

Os dados divulgados no relatório sobre a venda de tablets no país indicam 612.000 aparelhos comprados em Julho deste ano, um aumento de 17% em relação ao mesmo mês no ano passado. Entretanto, em Agosto, embora tenham sido vendidas 642.000 unidades, houve, na verdade, uma queda de 3% quando comparada com as vendas de Agosto de 2013.

Ainda no relatório, aponta-se que 96% destas vendas foram realizadas para consumidores finais e apenas 4% para o mercado corporativo no período. De acordo com os pesquisadores do IDC, a “febre do tablet” no Brasil tende a diminuir, com as vendas atingindo um patamar baixo e estável, em contraste com a abrupta curva de crescimento anterior.

Outro fator responsável pela queda nas vendas seria o fim da aquisição de tablets no setor público e a forte competição dos phablets, dispositivos de baixo custo e baixa qualidade importados ou fabricados localmente que estariam minando a confiança do público nos dispositivos portáteis.

Queremos saber sua opinião