Herdeiro da Samsung é condenado a cinco anos de prisão por corrupção

O herdeiro do império Samsung e seu comandante provisório foi condenado nessa madrugada pela Justiça da Coreia do Sul a uma pena de cinco anos de prisão por corrupção.

Sob Lee Jae-yong também pesam os crimes de desfalque, ocultação de recursos no exterior e lavagem de dinheiro relacionados ao escândalo que também derrubou a ex-presidente do país no ano passado.

O executivo de 49 anos estava no comando provisório da empresa devido a problemas de saúde do pai, mas planejava assumir o controle total. Para assegurar sua posição, efetuou o pagamento de subornos a Choi Soon-shil, um assessor e amigo da Presidente Park Geun-hye, com dinheiro oriundo de um caixa 2 da Samsung para facilitar um processo de fusão de filiais. As autoridades acreditam que foram pagos o equivalente a mais de US$40 milhões e a estratégia consolidaria a influência de Lee sobre a empresa.

Responsável por um quinto do PIB da Coreia do Sul, o destino da Samsung é uma questão vital para a economia do país. Desde o início das investigações, o Conselho Administrativo dentro da empresa, não vinculado à família Lee, ganhou força e as divisões que respondiam diretamente ao executivo envolvido em corrupção foram enfraquecidas. Até o momento, a Samsung não se pronunciou oficialmente sobre a condenação.

A defesa do herdeiro da Samsung classificou a pena como inaceitável e afirmou que irá recorrer da decisão “o mais rápido possível”.

Queremos saber sua opinião