Governo norte-americano faz recall de meio milhão de marca-passos

A agência federal norte-americana FDA emitiu um alerta para 465.000 usuários de marca-passos da Abbott (antiga St. Jude Medical) para voltarem ao hospital e atualizarem seus dispositivos.

Os aparelhos possuem uma vulnerabilidade que pode ser acessada remotamente para propósitos maliciosos, com resultados fatais, e precisam passar por atualização de firmware.

Entre os marca-passos afetados pelo recall estão os modelos Accent, Anthem, Accent MRI, Accent ST, Assurity e Allure. Felizmente, não é necessária a remoção ou substituição dos aparelhos e uma atualização de seu código interno pode ser realizada através de uma conexão sem fio por rádio frequência em um procedimento que dura somente três minutos. Segundo o fabricante, o objetivo é “oferecer uma camada adicional de segurança contra acesso não-autorizado a esses dispositivos que reduz o potencial de ataques cibernéticos bem-sucedidos”.

Nem a FDA, nem a Abbott registraram a ocorrência de casos em que essa falha de segurança tenha sido explorada por agentes hostis. A Abbott tranquiliza os usuários citando o Departamento de Segurança Nacional, que analisou esse método de ataque e o classificou como sendo de alta complexidade.

O uso de marca-passos conectados como alvo de hackers já foi explorado pela ficção em algumas obras. Recentemente, a série de TV “Homeland” mostrou justamente a ação de  um grupo terrorista que utilizou conexão sem fio para sabotar o dispositivo implantado no peito do Vice-Presidente dos Estados Unidos. Embora a trama tenha sido considerada mirabolante em 2012, quando o episódio foi exibido, a realidade acabou alcançando a arte alguns anos depois.

Queremos saber sua opinião