Google teria oferecido 30 bilhões de dólares pelo Snapchat…

A recusa de Evan Spiegel, CEO e um dos fundadores do Snapchat, de vender sua empresa para o Facebook por 3 bilhões de dólares é uma das histórias mais conhecidas e inacreditáveis dos bastidores do Vale do Silício.

Mas Spiegel pode ter feito algo ainda pior, recentemente: ele teria recusado uma oferta de 30 bilhões de dólares de ninguém menos que o Google no ano passado.

Segundo um jornalista de finanças do Business Insider, teria havido uma conversa informal entre as duas empresas pouco antes do Snapchat mudar de nome para Snap e receber uma nova rodada de investimentos. A oferta teria esbarrado na intransigência notória de Spiegel de vender a companhia que administra e controla com mão de ferro. O executivo nega a reportagem e um comunicado seco emitido pela empresa afirma que “esses rumores são falsos”. O Google se recusou a comentar.

Mas a proposta feita pelo Google, mesmo informal, teria ajudado a alavancar o Snap. O Google teria aplicado na empresa através de sua investidora CapitalG, praticamente funcionando como um aval para que o Snap atingisse uma valorização de 20 bilhões de dólares no ano passado e conseguisse mais investimentos. No final das contas, Spiegel acabou optando por tornar a empresa pública e colocar suas ações na Bolsa de Valores, no pico de valorização de 30 bilhões de dólares.

A estratégia pareceu surtir efeito: a primeira semana de negociação foi bastante positiva e cláusulas específicos determinam que Spiegel e o outro co-fundador, Bobby Murphy, mantenham o direito de voto majoritário sobre os rumos do Snap. Porém, as ações despencaram logo em seguida e seguem em queda, reduzindo o valor de mercado da empresa para menos da metade da suposta oferta do Google de 2016.

Analistas consideram que a compra teria sido uma aliança natural para as duas companhias. Atualmente, a Snap não somente é usuária maciça das soluções de escritório do Google em toda sua organização como também tem um contrato de 2 bilhões de dólares de utilização de serviços de nuvem do gigante das buscas para os próximos cinco anos. Ninguém menos que Eric Schmidt, diretor do Google, atua como conselheiro para Spiegel.

Entretanto, Spiegel é conhecido justamente por não seguir conselhos e agir de acordo com seus instintos. Com a pressão da competição de Mark Zuckerberg e o Facebook em seus calcanhares e o desempenho frágil no mercado de ações, o CEO do Snap pode acabar se arrependendo de uma decisão. De novo.

Queremos saber sua opinião