Gigantes de mídia se unem contra Google e Facebook

As gigantes de mídia dos Estados Unidos e do Canadá estão se unindo para uma batalha sangrenta contra o Google e o Facebook que pode mudar a face da web como conhecemos.

As empresas de comunicação acusam os serviços online de consumirem e oferecerem conteúdo sem remunerar os produtores de notícias e controlando o meio digital.

É uma disputa antiga contra a influência do Google News e do Facebook como disseminadores de conteúdo integral, sem investimentos e com faturamento publicitário que não é compartilhado corretamente com quem de fato investe na produção desse mesmo conteúdo. Agora, as gigantes de mídia formaram a News Media Alliance, que reúne mais de 2.000 publicações, e querem uma autorização do Congresso norte-americano para reivindicar junto às empresas de tecnologia uma forma de melhorar essa relação.

No argumento apresentando, “as empresas de notícias estão limitadas por um poder de negociação desagregado contra um duopólio”, representado pelo Google e pelo Facebook. O objetivo é derrubar uma lei antitruste que impede que as gigantes de mídia ajam em conjunto para defender seus interesses, mas não impede que as duas empresas de tecnologia controlem o segmento, forçando os produtores de conteúdo a se adequarem a suas normas de apresentação e até de faturamento.

Para David Chavern, presidente e diretor executivo da News Media Alliance, “uma legislação que permita às empresas de comunicação negociarem coletivamente vai tratar de questões presentes  hoje que reduzem a saúde e a qualidade geral da indústria de notícias”.

E completou: “jornalismo de qualidade é fundamental para sustentar a democracia e é central para a sociedade. Para garantir que esse jornalismo tenha futuro, as empresas de comunicação que o sustentam devem ser capazes de negociar coletivamente com as plataformas digitais que realmente controlam a distribuição e o acesso do público na era digital”.

Queremos saber sua opinião