Gerente de fábrica roubou mais de 5.700 iPhones na China

Um gerente de nível sênior de uma fábrica da Foxconn na China conseguiu desviar para uso próprio mais de 5.700 iPhones da linha de produção.

Os aparelhos que seriam utilizados para testes foram na verdade desviados e comercializados no mercado negro em Taiwan, onde teriam rendido mais de um milhão e meio de dólares para os envolvidos.

De acordo com a Foxconn, os smartphones não deveriam ser vendidos e seu destino seria a reciclagem uma vez encerrados os testes programados para as unidades. O golpe consistia em resgatar os aparelhos do inventário ao invés de desmanchá-los. Agora, o gerente identificado apenas como “Tsai” e seus cúmplices encaram o tribunal para responder por seus crimes. Uma auditoria interna descobriu o golpe e os 8 funcionários identificados como integrantes da fraude podem pegar até 10 anos de prisão.

O crime aconteceu na unidade da Foxconn na cidade de Shenzhen, onde Tsai instruía os funcionários para retirarem os aparelhos da fábrica. Os smartphones dos modelos iPhone 5 e iPhone 5S foram desviados entre os anos de 2013 e 2014 e seu destino atual é ignorado.

Com um milhão de funcionários trabalhando em suas unidades, a Foxconn já se viu envolvida em escândalos anteriormente, com relatos de péssimas condições de trabalho em suas fábricas e até mesmo suicídios. Atualmente, é uma das maiores montadoras de iPhones do mundo, mas sua hegemonia pode estar ameaçada com a vitória de Donald Trump nas eleições dos Estados Unidos: o bilionário Republicano se elegeu com uma plataforma que prega o retorno da fabricação de produtos eletrônicos em solo norte-americano.

Queremos saber sua opinião