Fraco desempenho do Twitter derruba ações na Bolsa de Valores

O Twitter tomou um susto nessa quinta-feira com a queda abrupta de suas ações na Bolsa de Valores, que chegaram a cair 14% e causar uma desvalorização de 2 bilhões de dólares no mercado.

O fraco desempenho da rede social afugentou os investidores: relatório revelou crescimento zero entre primeiro e segundo trimestre do ano e um recuo em volume de usuários nos Estados Unidos.

A notícia bateu como um choque na Bolsa, após um primeiro trimestre promissor para a rede social, quando superou as expectativas de crescimento dos analistas. Entretanto, apesar dos esforços da empresa em aumentar o engajamento e da projeção gerada por Donald Trump, um de seus mais prolíficos usuários, o Twitter não conseguiu acrescentar um volume de novos usuários superior à evasão dos antigos e terminou o segundo trimestre com praticamente o mesmo número de usuários ativos mensais (MAU) do trimestre anterior.

A situação foi ainda pior nos Estados Unidos, onde o número de usuários ativos caiu de 70 milhões para 68 milhões, no espaço de três meses. De acordo com Anthony Noto, COO do Twitter, “as contribuições positivas para o crescimento do MAU a partir de aperfeiçoamentos do produto no segundo trimestre foram sobrepujadas por baixos benefícios sazonais e outros fatores, resultando em um MAU raso de um trimestre para outro”.

A explicação parece não ter convencido os analistas e tampouco tranquilizado o pregão da Bolsa. Para Michael Nathanson, pesquisador analista sênior da MoffettNathanson Research, em entrevista para o New York Post, “se você realmente não consegue acelerar o interesse dos MAU dados os tuítes diários do Presidente dos Estados Unidos, não sei quando você vai conseguir”.

Queremos saber sua opinião