Flash será extinto em 2020

A Adobe fez um anúncio coletivo hoje em conjunto com Apple, Facebook, Google, Microsoft e Mozilla decretando o fim do Flash como plugin e formato.

Foram traçados planos para descontinuar a atualização e a distribuição do Flash em 2020 e todos os produtores de conteúdo que ainda trabalham com o formato estão sendo orientados a migrar para soluções abertas.

A Adobe em seu comunicado oficial relembra o pioneirismo do Flash no início da internet, quando o plugin era a única alternativa para oferecer interatividade e conteúdo rico na medida em que havia uma demanda muito alta por parte de usuários e criadores. Com a evolução dos padrões da internet, recursos e formatos como HTML 5, WebGL e WebAssembly, abertos para todos e com inúmeras outras vantagens, passaram a tornar possível as mesmas funcionalidades antes limitadas ao Flash e a Adobe acredita que está na hora de aposentar o plugin.

A empresa também reconhece que o formato foi adotado ativamente por serviços e empresas, seja no setor de vídeo, educação e jogos, e que existe uma dependência em alguns setores em relação ao Flash. A Adobe assegura que manterá o suporte ao Flash, incluindo atualizações de segurança e compatibilidade com a maioria dos navegadores e sistemas operacionais, até o fim do ciclo anunciado, mas, após 2020, o formato será permanentemente abandonado.

Não é de hoje que o Flash perdeu sua relevância e confiabilidade no cenário de internet. Até mesmo os cibercriminosos, que em tempos mais sombrios exploravam suas múltiplas vulnerabilidades para aplicar seus ataques, já se afastaram da plataforma em virtude de sua drástica redução de popularidade. Muitos navegadores e sistemas operacionais desabilitam o plugin por padrão e sua presença em sites cai a cada ano, em consequência de problemas de performance e segurança e do surgimento de alternativas superiores.

Então, era apenas uma questão de tempo para que a própria Adobe assumisse o manto de colocar o último prego no caixão do Flash. Com o apoio dos fabricantes dos principais navegadores e sistemas operacionais, acredita-se que o processo de transição seja imperceptível nos próximos anos e que logo o plugin passe a existir somente na lembrança dos usuários.

 

Queremos saber sua opinião