Família norte-americana processa Apple por acidente automobilístico

James e Bethany Modisette abriram um processo contra a Apple nos Estados Unidos, acusando a empresa de ter influenciado um acidente automobilístico que causou a morte de uma das filhas do casal e feriu o restante da família.

A empresa tem registrada desde 2008 uma patente de tecnologia que poderia ter evitado a tragédia, mas ainda não aplicou o recurso em nenhum de seus produtos.

O acidente aconteceu em 24 de Dezembro de 2014, quando o veículo da família Modisette foi atingido por um outro carro a mais de 100 quilômetros por hora em uma rodovia próxima a Dallas. O motorista responsável pela colisão estava distraído ao volante, utilizando o aplicativo de mensagens por vídeo FaceTime em seu iPhone 6 Plus durante o acidente. A polícia norte-americana encontrou o aplicativo ainda rodando no local da tragédia. Moriah Modisette, de apenas cinco anos, morreu no hospital em decorrência dos ferimentos causados pelo impacto.

De acordo com o processo aberto contra a Apple, a empresa patenteou um “mecanismo de trava que impede a operação de uma ou mais funções de dispositivos móveis para motoristas quando operando veículos”. Seis anos depois do registro, nenhum aparelho fabricado pela Apple ainda possuía esse recurso. A empresa está sendo acusada de “falha de design, manufatura e comercialização do iPhone 6 Plus com a tecnologia patenteada e mais segura” e teria desempenhado um “fator substancial” para que o acidente tivesse acontecido.

A família Modisette busca agora na Justiça uma indenização relacionada às consequências do acidente, assim como uma medida punitiva contra a empresa.Até o momento, a Apple não se pronunciou oficialmente sobre o processo.

Queremos saber sua opinião