Facebook é processado por ex-funcionária por suposta discriminação e assédio

Uma ex-funcionária do Facebook está processando a gigante das redes sociais por suposta discriminação sexual e assédio, com base em raça ou origem nacional, e demissão ilegal.

Chia Hong disse que começou a trabalhar no Facebook em junho de 2010 como gerente de programas. Em outubro de 2012 ela foi transferida e demitido da empresa um ano depois.

Hong, que é de Taiwan, está fazendo nada menos que 11 ações judiciais separadas, alegando que sofria de discriminação e assédio com base em seu gênero e sua raça. A mulher diz ter sido alvo de retaliação depois que reclamou sobre esse tratamento e acabou sendo ilegalmente demitida.

facebook-inteligencia-artificial

A ação diz que colegas de trabalho de Hong regularmente a ignoravam ou descartavam suas opiniões em reuniões de grupo, perguntando-lhe “por que ela não apenas ficava em casa e cuidava de seu filho, em vez de ter uma carreira”.

O processo também alega que disseram para Hong que ela não era integrada em sua equipe no trabalho por ter “uma aparência diferente e falar de forma diferente dos outros membros da equipe”. Posteriormente, ela teria sido substituída “por um menos qualificado, menos experiente homem indiano.”

Num e-mail enviado ao site TechCrunch hoje, um porta-voz do Facebook contestou o processo, dizendo que a empresa trabalha muito duro em “questões ligadas à diversidade e igualdade de gênero”, e acredita que tem feito muito progresso: “Neste caso, temos divergências sobre os fatos, e acreditamos que o registro mostra que a empregada foi tratada de forma justa”.

Queremos saber sua opinião