Facebook declara guerra aos bloqueadores de anúncios

Na grande batalha dos bloqueadores de anúncios, o Facebook é uma das partes mais interessadas na vitória e hoje anunciou uma manobra ousada na guerra: vai barrar seu funcionamento.

O sistema da rede social irá camuflar propaganda de tal forma que será impossível para os bloqueadores identificarem anúncios para serem bloqueados.

Na teoria, o HTML da publicidade será indistinguível do HTML do conteúdo gerado pelos usuários, o que deixará os bloqueadores de anúncio incapazes de filtrar publicidade. Em contrapartida, o Facebook se comprometeu a ampliar o poder do usuário de filtrar diretamente o tipo de propaganda exibida na rede social através de uma série de ajustes nas Preferências de Anúncios de seu perfil.

O Facebook justifica sua decisão baseado na proliferação do que chama de “anúncios ruins”: “todos nós temos experimentado um bocado de anúncios ruins. Anúncios que obscurecem o conteúdo que estamos tentando ler, anúncios que retardam o tempo de carga de páginas ou anúncios que tentam nos vender coisas que nós não temos nenhum interesse em comprar. Anúncios ruins são disruptivos e um desperdício de nosso tempo”.

A rede social não tem medo de colocar o dedo na ferida dos bloqueadores de anúncio para explicar porque está burlando seu funcionamento: “algumas empresas de bloqueio de anúncio aceitam dinheiro em troca de exibir anúncios que foram previamente bloqueados – uma prática que na melhor das hipóteses confunde as pessoas e reduz o financiamento necessário para apoiar o jornalismo e outros serviços gratuitos que nós curtimos na web. Facebook é um desses serviços gratuitos e anúncios apoiam nossa missão”.

Com a estratégia, o Facebook ao mesmo tempo assegura a verba publicitária necessária para manter suas operações e consolida sua posição como distribuidor de conteúdo atraente para produtores de conteúdo. Resta saber agora qual será a reação dos usuários de bloqueadores de anúncio, que perdem o controle da experiência, e dos próprios desenvolvedores de bloqueadores de anúncio, que veem seu modelo de negócios ameaçado. Esta é uma batalha que ainda está longe de terminar.

 

Queremos saber sua opinião