Criador do Android apresenta novo smartphone

Andy Rubin é um dos pais da plataforma Android mas apresentou nessa terça-feira uma nova proposta de smartphone: Essential Phone.

O novo dispositivo já está disponível para venda e ressuscita a proposta de smartphones modulares, abandonada pelo Google, com modelos custando a partir de US$699.

Rubin assumiu o projeto após se sentir culpado por o que chama de falhas na implementação do Android. “Eu sou parcialmente responsável por tudo que está aí”, desabafou o desenvolvedor. “Apesar de todo o lado bom que o Android trouxe ao ajudar a levar a tecnologia para praticamente todo mundo, ele também ajudou a criar esse estranho novo mundo onde as pessoas são forçadas a brigar com a mesma tecnologia que supostamente deveria simplificar suas vidas”.

Em um primeiro olhar, o Essential não difere muito de seus concorrentes: 4GB de RAM com 128GB de armazenamento e um processador Snapdragon 835. A tela de 5.71 polegadas ocupa quase a totalidade da parte frontal do aparelho, a exemplo do que já fez a Samsung. Assim como a Apple decidiu, o novo smartphone também não possui a entrada tradicional para fones de ouvido.

essential

Mas o grande diferencial do Essential está na traseira, onde fica situado o conector magnético do dispositivo. Através dele, será possível fixar módulos independentes que interagem com o sistema e transferem dados através de frequências sem fio. Entre os módulos disponíveis está um que se acopla magneticamente e transforma o aparelho em uma câmera de 360º, ao custo de US$50 extras. Através do mesmo processo, o aparelho inteiro pode se recarregar em uma superfície especial, sem necessidade de fios.

Ao contrário dos aparelhos da Samsung e da Apple, com carapaças de alumínio, Rubin optou pelo titânio para montar seu Essential. Ele garante que o material é mais resistente a deformações, trincas e arranhados e que o Essential dispensa o uso de capas para celular.

Por enquanto, não há uma data específica para o lançamento do Essential, mas seu criador acredita que ele deva estar nas prateleiras nos próximos meses, inicialmente apenas nos Estados Unidos, expandindo para outros mercados no futuro.

Queremos saber sua opinião