Correios encerra o serviço e-Sedex

Depois de anunciar o fim do serviço de entrega e-Sedex em Novembro do ano passado, o Correios finalmente encerrou a modalidade nesse segunda-feira (19).

Um liminar emitida pela 5ª Vara da Justiça Federal de Brasília em nome da Associação Brasileira de Franquias Postais (Abrapost) garantiu o funcionamento do e-Sedex além do prazo estabelecido pelos Correios, mas agora não há mais volta para o serviço.

A ideia dos Correios era ter suspendido a modalidade já em 1º de Janeiro, mas a decisão da juíza Diana Maria Wanderlei da Silva parecia ter salvo os usuários que dependiam do serviço. Entretanto, “em virtude da aprovação da nova Política Comercial pelo Conselho de Administração dos Correios”, a estatal decretou o fim irrevogável do e-Sedex a partir do dia 19/06. Em memorando enviado a todos os funcionários, os Correios informam que “todas as postagens deverão ser realizadas nos códigos de SEDEX ou PAC ativos no contrato”.

Na época do anúncio da decisão de se encerrar a modalidade, o presidente dos Correios, Guilherme Campos Júnior, chegou a ironizar a existência da modalidade: “O e-Sedex tem preço de PAC (serviço convencional) e qualidade de Sedex. Isso é ter a liberdade de ser solteiro com o conforto de casado”.

Por suas características, o e-Sedex beneficiava lojas de comércio eletrônico de pequeno e médio porte que conseguiam oferecer a agilidade de um Sedex convencional com um custo baixo. Mas sua extinção não deve afetar somente o setor do e-commerce: segundo a própria Abrapost o serviço era responsável por 30% do faturamento das agências franqueadas e seus associados temem que o consumidor busque serviços de entrega concorrentes.

Queremos saber sua opinião