Como o mundo da tecnologia reagiu à eleição de Donald Trump

Ainda é difícil dizer como a presidência de Donald Trump irá afetar o setor de TI nos Estados Unidos, ainda que as previsões atuais não sejam exatamente favoráveis.

Mas grandes nomes da tecnologia já se manifestaram sobre a vitória do candidato Republicano, como Mark Zuckerberg, Tim Cook, Satya Nadella, Jeff Bezos e outros.

O fundador e CEO do Facebook não se referiu diretamente a Donald Trump, um tom adotado pela maioria de seus iguais. Em uma postagem na rede social que criou, Zuckerberg afirma que essa foi a primeira de muitas eleições que sua filha Max testemunhou e que o trabalho de construção de um futuro melhor para todos é “maior que qualquer presidência” e que esse é um momento para “trabalhar ainda mais duro”.

Tim Cook, que já enfrentou a ira de Trump durante o impasse entre a Apple e o FBI, na questão da criptografia, também optou por uma mensagem de tranquilidade. Em um comunicado enviado a todos os funcionários da Apple, ele reitera que os valores da empresa não mudaram, que a diversidade deve ser celebrada e que “o único caminho para avançar para frente é avançar para frente juntos”.

Satya Nadella, CEO da Microsoft, utilizou o LinkedIn, adquirido esse ano pela empresa, para expressar sua posição sobre a eleição de Trump. Ele mesmo um imigrante originado da Índia, acentuou que a Microsoft preza pela diversidade e pela cultura de inclusão. Mas também afirmou que a empresa “está ansiosa para trabalhar com aqueles que foram eleitos”. Brad Smith, presidente do escritório Legal da Microsoft escreveu uma longa postagem com as principais preocupações da empresa em relação ao futuro dos Estados Unidos.

Mas nem todos esconderam a decepção com a derrota de Hillary Clinton e a vitória praticamente inesperada de Donald Trump. Steve Case, um dos fundadores da AOL, foi textual no Twitter: “Eu estou surpreso e desapontado. Mas agora que o povo falou, nós devemos aceitar o resultado e trabalhar em conjunto para avançar o país para frente”.

O último dos grandes expoentes do setor de TI dos Estados Unidos a se manifestar, Jeff Bezos, tem um histórico de troca de farpas com o bilionário eleito para a Casa Branca. Trump já criticou o fato de Bezos ser ao mesmo tempo dono da Amazon e do jornal Washington Post e insinuou que isso mereceria uma investigação antitruste. Bezos, por sua vez, declarou que poderia enviar o rival para o espaço em uma viagem só de ida através da Blue Origin, empresa de exploração espacial que também controla.

Pois bem, vitórias presidenciais operam milagres diplomáticos e Bezos, depois de um dia de silêncio, usou o Twitter para enviar congratulações ao antigo desafeto. Bezos também afirmou que manteria sua mente aberta e desejou a Trump “grande sucesso em seu serviço ao país”.

Outro que engrossa a lista de opositores do bilionário Republicano é Elon Musk. Até quase o último minuto, o magnata da tecnologia continuou marcando seu descontentamento com a candidatura de Trump. Na última sexta-feira, faltando poucos dias para as eleições, Musk declarou em entrevista para a rede CNBC que Trump “não é a pessoa certa” e não tem um caráter que reflete bem com os Estados Unidos. Até o momento, o dono da Tesla e da SpaceX não emitiu uma palavra sobre o resultado das urnas.

 

Queremos saber sua opinião