CEO do Uber bate boca com motorista que filma tudo

O inferno astral do Uber parece não ter fim: um vídeo obtido pela Bloomberg mostra um tenso bate boca entre o CEO da empresa e um motorista que trabalha na plataforma.

O motorista filmou a discussão com a câmera interna do veículo, vazou o conteúdo para a imprensa e Travis Kalanick se desculpou pelo incidente em um comunicado.

A discussão aconteceu em 5 de Fevereiro, na noite do Domingo do Super Bowl nos Estados Unidos, quando o CEO do Uber, acompanhado de duas amigas, solicitou um veículo através do próprio aplicativo. Mas ele não contava que Fawzi Kamel, motorista da plataforma desde 2011, tivesse fortes opiniões sobre as quedas constantes dos valores das corridas, que estariam prejudicando quem trabalha para o Uber. Foi o estopim para Travis Kalanick perder a linha e discutir furiosamente com Kamel, antes de cancelar a corrida e descer, batendo a porta. Confira:

Kamel aponta a redução de preços e alega ter perdido muito dinheiro com as decisões do Uber, no que Kalanick replica: “babaquice” e argumenta que não houve diminuição na modalidade Uber Black, na qual Kamel está inserido. “Nós começamos com US$20”, insiste o motorista, “agora estamos em quanto a milha? US$2.75?”. O CEO do Uber rebate: “algumas pessoas não gostam de aceitar a responsabilidade por sua própria m***. Eles culpam alguma outra pessoa por tudo que acontece em sua vida. Boa sorte!”.

Irritado, Kalanick abandona o carro. Mas ainda dá tempo de ouvir a praga rogada pelo motorista: “boa sorte para você, mas eu sei que você não vai muito longe”. Ainda de acordo com o Bloomberg, o motorista deu uma única estrela na avaliação do CEO do Uber como passageiro.

O caso repercutiu muito mal em um momento em que o Uber está se recuperando de um mal-entendido durante a crise da imigração nos Estados Unidos e de uma grave acusação de assédio sexual entre seus gerentes. Em uma mensagem enviada a todos os funcionários e colaboradores, Travis Kalanick se disse envergonhado e pediu desculpas pelo seu comportamento.

“Meu trabalho como seu líder é liderar… e isso começa me comportando de uma forma que nos faça todos nós sentirmos orgulho. Isso não foi o que eu fiz e eu não posso justificar isso. Está claro que esse vídeo é um reflexo de mim – e a crítica que nós temos recebido é um forte lembrete de que eu devo substancialmente mudar como um líder e crescer. Essa é a primeira vez que eu estou disposto a admitir que eu preciso de uma ajuda de liderança e eu pretendo consegui-la”.

Queremos saber sua opinião