Browsers trabalham para bloquear a publicidade personalizada


O Google e a Mozilla anunciaram ferramentas para que os usuários decidam que informações desejam compartilhar com anunciantes online quando navegam pela internet usando o Chrome e o Firefox. A Microsoft também prepara algo nesse sentido para o Internet Explorer. A posição dos três principais navegadores de internet dá ao usuário a opção de fornecer ou não informações sobre os sites que visitou ou localização geográfica para mostrar publicidade personalizada.

De acordo com a BBC, a utilização dessa ferramenta de publicidade tem causado preocupação sobre privacidade, e em dezembro a Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos decidiu que a tecnologia era pouco transparente. Esse sistema funciona através dos cookies, pequenos arquivos de texto que permitem aos sites relembrar as credenciais do usuário, preferências e produtos comprados online, entre outras coisas, gravados no navegador.

O Google anunciou que o Chrome vai permitir que os usuários saiam por completo desse sistema instalando uma extensão no navegador, mas deixarão de receber os anúncios somente de empresas que aderirem à iniciativa. O Google acredita que a instalação da extensão pode fazer com que o usuário passe a ver anúncios que não são relevantes para ele, informou a BBC. A abordagem da Mozilla é diferente, e incluirá um botão no Firefox que avisará ao site visitado que o usuário não gostaria de receber publicidade personalizada. Já a Microsoft anunciou que o Internet Explorer 9 será lançado com uma ferramenta que bloqueia sites que façam rastreamento online.

Com informações de Terra.

Browsers trabalham para bloquear a publicidade personalizada


O Google e a Mozilla anunciaram ferramentas para que os usuários decidam que informações desejam compartilhar com anunciantes online quando navegam pela internet usando o Chrome e o Firefox. A Microsoft também prepara algo nesse sentido para o Internet Explorer. A posição dos três principais navegadores de internet dá ao usuário a opção de fornecer ou não informações sobre os sites que visitou ou localização geográfica para mostrar publicidade personalizada.

De acordo com a BBC, a utilização dessa ferramenta de publicidade tem causado preocupação sobre privacidade, e em dezembro a Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos decidiu que a tecnologia era pouco transparente. Esse sistema funciona através dos cookies, pequenos arquivos de texto que permitem aos sites relembrar as credenciais do usuário, preferências e produtos comprados online, entre outras coisas, gravados no navegador.

O Google anunciou que o Chrome vai permitir que os usuários saiam por completo desse sistema instalando uma extensão no navegador, mas deixarão de receber os anúncios somente de empresas que aderirem à iniciativa. O Google acredita que a instalação da extensão pode fazer com que o usuário passe a ver anúncios que não são relevantes para ele, informou a BBC. A abordagem da Mozilla é diferente, e incluirá um botão no Firefox que avisará ao site visitado que o usuário não gostaria de receber publicidade personalizada. Já a Microsoft anunciou que o Internet Explorer 9 será lançado com uma ferramenta que bloqueia sites que façam rastreamento online.

Com informações de Terra.