Botnet que derrubou a Dyn agora está tirando um país inteiro da internet

O ataque não teve o mesmo destaque na mídia do que o ataque à Dyn. Mas outra rede de dispositivos comprometidos está sendo usada novamente para derrubar um país africano.

Ataques DDoS com as mesmas características e também baseados na ferramenta Mirai estão sobrecarregando a única conexão por cabo submarino da Libéria e operação pode ser um teste para outros alvos.

Chamada de  Botnet 14 por especialistas de segurança, a rede está enviando solicitações na ordem de 500Gbps para as duas operadoras acesso do pequeno país da Costa Oeste africana, provocando apagões em todos os serviços e literalmente removendo a Libéria da internet. Embora até o momento não tenham sido identificados os autores do ataque realizado contra a Dyn no mês passado, há indícios de que a Botnet 14 envolvida nessa investida contra a Libéria também pertença aos mesmos agentes.

Com apenas 6% da população conectada com a internet, a Libéria se tornou um alvo fácil para um ataque desta proporção. Até 2011, a conexão era realizada via satélite, mas a partir daquele ano o acesso passou a ser realizado através de um cabo submarino administrado por duas empresas de conectividade. Entretanto, o consenso entre os analistas é de que a operação não tenha finalidade política, mas seja apenas um ensaio para ciberataques maiores e mais sofisticados contra outras nações.

 

Queremos saber sua opinião