Bill Gates se junta ao combate ao mosquito da dengue

O bilionário e filantropo Bill Gates anunciou na semana passada, durante um evento em Genebra, na Suíça, que irá se juntar a diversas entidades mundiais para erradicar o mosquito da dengue.

O fundador da Microsoft irá destinar 18 milhões de dólares de sua fortuna pessoal para uma pesquisa de ponta que busca esterilizar geneticamente a população do Aedes Aegypt, vetor de diversas doenças.

Nos últimos anos, a Gates Foundation, dedicada a trabalhos sociais e na área da saúde, já investiu mais de meio bilhão de dólares em projetos que buscam melhorar as condições de vida de populações desfavorecidas em áreas em desenvolvimento e, segundo Gates, a erradicação do mosquito pode se tornar uma das iniciativas com maior impacto já conduzidas por sua fundação. Testes realizados no Vietnã e outros países tropicais do leste asiático obtiveram resultados significativos no controle de epidemias como dengue, zika e chikungunya.

No momento, as pesquisas estão conduzindo novos testes em um subúrbio da cidade do Rio de Janeiro, assim como na Indonésia e na Antióquia, na Colômbia. A estratégia utilizada pelos pesquisadores está em infectar os mosquitos transmissores com a bactéria Wolbachia, que é inócua para seres humanos mas impede que os insetos afetados se tornem transmissores de outras doenças. “Estamos realizando os testes e, até o fim do ano, saberemos se isso vai funcionar”, revelou Gates em entrevista ao jornal Estado de São Paulo.

O filantropo também afirmou que trabalha em outras frentes de pesquisa, como o desenvolvimento de pesticidas mais eficientes que não causem danos ao meio ambiente mas combatam os mosquitos, assim como na produção de vacinas contra as doenças transmitidas pelo Aedes Aegypt. Um dos obstáculos enfrentados para a criação de um método de imunização está na falta de parcerias com entidades nacionais e Gates reclamou da falta dessa aliança: “Há um grande trabalho no Brasil. Mas, por enquanto, não temos uma vacina.”

Queremos saber sua opinião