Barack Obama afirma que não pode perdoar Edward Snowden

As chances de Edward Snowden conseguir o perdão presidencial antes do término do mandato de Barack Obama foram reduzidas drasticamente: o próprio Obama declarou que isso não é possível.

O atual presidente dos Estados Unidos deu a declaração durante uma entrevista para o jornal alemão Der Spiegel, admitiu que o delator da NSA levantou importantes questionamentos, mas negou que possa dar o perdão a ele.

Há uma campanha em andamento para que Obama conceda o perdão pelo suposto crime de traição cometido por Snowden ao denunciar os esquemas de espionagem e monitoramento da NSA. Mas tudo indica que isso não irá acontecer: “eu não posso perdoar alguém que não esteve diante de uma corte e se apresentou, então não há nada que eu poderia comentar nesse ponto”, afirmou Obama.

“Eu acredito que o Sr. Snowden levantou algumas preocupações legítimas. A forma como ele fez foi algo que não seguiu os procedimentos e práticas de nossa comunidade de inteligência. Se todo mundo adotar a abordagem de tomar suas próprias decisões sobre essas questões, então seria muito difícil ter um governo organizado ou qualquer tipo de sistema de segurança nacional”, esclareceu o atual presidente dos Estados Unidos.

Obama defendeu que Snowden deve “se apresentar às autoridades legais” norte-americanas e se explicar sobre seus atos, para trazer esses temas à baila. Mas especialistas apontam que a alegação de que o presidente dos Estados Unidos não pode conceder o perdão a um indivíduo que não se apresentou diante da corte está equivocada e há inúmeros precedentes históricos de que isso já foi feito. O próprio Obama concedeu o perdão a três iranianos que não enfrentaram julgamento, como resultado de um acordo com o governo do Irã.

Para Noa Yachot, coordenador da campanha pelo perdão a Edward Snowden, ao perdoar o delator, “o Presidente Obama estaria ajudando a assegurar o seu legado ao mesmo tempo que estaria enviando uma mensagem poderosa em sua saída – de que levantar-se contra o abuso governamental é uma tradição que nós deveríamos valorizar e levar conosco pelos próximos quatro anos”.

Sem o perdão de Obama, Snowden terá que ser submetido à boa vontade do governo de Donald Trump, o que pode significar pelo menos mais quatro anos de exílio ou um destino ainda pior. O congressista Mike Pompeo, indicado por Trump para ocupar o cargo máximo na CIA já classificou Snowden como “traidor”  no passado e afirmou que ele deveria ser executado.

Queremos saber sua opinião