Autoridades dos EUA acusam dois espiões e dois hackers russos por vazamento do Yahoo

Autoridades do FBI e do Departamento de Justiça revelaram as identidades de quatro suspeitos de um vazamento maciço de dados do Yahoo: dois espiões e dois hackers de origem russa.

Em nome do serviço secreto da Rússia, a Federal Security Agency (FSB), os operativos utilizaram os serviços dos dois hackers do submundo para obter dados de mais de meio bilhão de usuários do Yahoo em 2014.

Os agentes foram identificados como Igor Suschin e Dmitry Dokuchaev e teriam trabalhado com Aleksey Belan e Karim Baratov para comprometer o banco de dados do Yahoo e acessar informações relacionadas a militares norte-americanos, executivos do setor privado e jornalistas russos. Após conseguirem os dados em que estavam interessados, os espiões liberaram os hackers para comercializar o restante do lote no mercado negro da internet, o que camuflou a operação inicialmente como um ataque com fins puramente financeiros.

Agente Especial John Bennett, do FBI apresenta detalhes das investigações do caso em coletiva de imprensa em San Francisco.

Na ocasião em que revelou o vazamento de dados, o time de segurança do Yahoo afirmou que havia indícios de que a invasão e o furto de informações tinham indícios de uma ação orquestrada por uma nação hostil. A conclusão foi contestada na época por especialistas de outras empresas, inclusive da InfoArmor, conforme publicado aqui. Agora, veio a confirmação de que o Yahoo estava certo em suas conjeturas.

Segundo o Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DoJ), Karim Baratov, de 22 anos, um dos hackers envolvidos na operação, já foi preso no Canadá. Aleksey Belan está na lista dos mais procurados da Interpol desde 2013, por múltiplos ataques de hacking e existe um mandato em vigor para que “seja preso assim que for visto”, em todos os países membros, inclusive a Rússia. Durante a coletiva de imprensa, o DoJ acusou a Rússia de não apenas não capturar Belan, como de recrutá-lo quando teve a oportunidade.

Queremos saber sua opinião