Ashley Madison quer acordo milionário com vítimas de vazamento

A novela da Ashley Madison ainda não terminou e a empresa que administra o serviço de relacionamentos extraconjugais tem uma proposta, digamos, indecente para as vítimas do vazamento de dados de 2015.

A Ruby Life, antiga Avid Dating Life, está oferecendo um total de 11 milhões de dólares como indenização para ações coletivas… desde que os afetados comprovem danos morais ou materiais e se identifiquem.

A empresa já foi forçada pelo Federal Trade Commission (FTC), órgão de defesa do consumidor nos Estados Unidos, a pagar uma multa milionária no final do ano passado por ter sido considerada negligente na proteção dos dados dos usuários de seu serviço. Entretanto, as ações coletivas continuaram seguindo nos tribunais, com advogados defendendo os interesses de grupos de usuários que preferem manter anonimato, por razões óbvias.

Os advogados da Ruby Life sustentam que é necessária a correta identificação das vítimas “simplesmente porque o nome de uma pessoa ou outras informações pareçam ter sido lançadas no vazamento de dados isso não significa que a pessoa realmente era um membro do Ashley Madison”, uma vez que usuários poderiam ter se cadastrado utilizando credenciais falsas de outras pessoas. Desta forma, para que o acordo seja alcançado, os usuários devem provar ser quem são e comprovar que foram afetados pelo vazamento.

O valor de 11 milhões de dólares é considerado baixo nesse tipo de processo, mas analistas acreditam que as partes devem chegar a um acordo para evitar estender o desgaste provocado pelo incidente ou comprometer ainda mais a imagem das vítimas atingidas pela exposição de seus dados. Cada usuário que se prontificar a receber a indenização terá um teto máximo de US$3.500 para receber, uma cifra irrisória diante dos danos provocados.

Queremos saber sua opinião