Abrigo escondido na Noruega irá armazenar dados brasileiros em caso de Fim do Mundo

Com a tensão presente no cenário geopolítico atual, o medo da III Guerra Mundial reaparece, mas uma empresa garante que nossos dados irão sobreviver mesmo em caso de Fim do Mundo.

O projeto organizado pela Piql está guardando dados do Brasil, México e Noruega em um abrigo escondido na vastidão gelada da Escandinávia, preservados de forma que possam durar de 500 a 1000 anos, mesmo com o fim da Civilização.

Documentos importantes do Arquivo Nacional estão sendo convertidos para o formato de armazenamento da Piql e enviados para o projeto World Arctic Archive. “Ao fazer isso agora, nós estamos assegurando que as futuras gerações terão acesso a essa informação”, garante Ricardo Marques, diretor do Arquivo Nacional. Os dados são guardados em microfilmes, protegidos em caixas, em temperaturas abaixo de zero, nas profundezas de uma mina abandonada na ilha de Svalbard, considerada zona desmilitarizada e livre de ataques graças a um tratado internacional.

A Piql também é responsável por um projeto similar que guarda 1.5 milhão de sementes de todas as principais plantas do mundo para o caso de uma hecatombe. Segundo a empresa, os dados que forem guardados em suas instalações são capazes de sobreviver a um ataque nuclear. A tecnologia empregada também impede que eles sejam alterados ou deletados no futuro, funcionando somente em modo leitura. Para recuperar as informações preservadas basta uma fonte de energia e um dispositivo capaz de interpretar os arquivos.

Queremos saber sua opinião